Taras Bychko vive e trabalha em Lviv (Ucrânia), faz fotos no gênero documentário e street. 

Fotógrafo premiado, vencedor na nomeação “Street” no concurso Ucraniano Fotógrafo do Ano 2016. Teve foto foi incluída no livro “100 Great Street Photographs” (Londres, Inglaterra, 2017) e organizou o coletivo de rua “380 Collective” dedicado ao desenvolvimento da fotografia de rua na Ucrânia.

Nas próximas linhas, um pouco da história de T. Bychko por suas próprias palavras.

Minha história é provavelmente a mesma de muitos outros fotógrafos. Comprei uma câmera quando meu primeiro filho nasceu apenas para capturar os momentos de seu crescimento. Eu nunca havia me dedicado à fotografia como arte antes disso. 

Levei um bom tempo para sair da fotografia como hobby para me tornar um fotógrafo de rua e documental. Antes de começar a fotografar, mergulhei na história da fotografia. Eu me dediquei muito em aprender a entender a “linguagem da fotografia”, então criei um plano de estudos bem estruturado e comecei a absorver muita literatura sobre o tema.

Eu trabalhava como consultor jurídico nessa época e tinha muito pouco tempo para me dedicar, mas cada minuto dessa “liberdade” era dedicado à fotografia. Fiquei meses tentando me encontrar na fotografia… Por falta de tempo livre, comecei a fotografar nas ruas, na hora do almoço, ir ao supermercado, passear, etc. 

Comecei a olhar o meu mundo pelo visor da Minha câmera. Tive muita sorte em encontrar a ferramenta adequada para o meu estilo de fotografia, que foi uma câmera Fujifilm X100. Eu realmente amo as câmeras da série X por causa da excelente ergonomia e total sensação de fotografar que essas câmeras fornecem (é tudo uma questão de conforto e prazer ao usá-las). Além disso, essas incríveis simulações de filmes me permitiram não precisar editar minhas fotos depois.

Não era suficiente fotografar apenas quando você tem um “tempo livre”, então decidi que teria de escolher entre a fotografia e um trabalho, eu deveria largar meu emprego para manter o foco na fotografia e não parar mais.

A fotografia de rua para mim é uma intuição espontânea, uma sensação de capturar algo que está ao seu redor e é interessante, emocionante e único ao mesmo tempo.

Estou surpreso com um pensamento popular de hoje em dia de que qualquer um pode fotografar nas ruas apenas pegando uma câmera e “caçando” fazendo “obras-primas” de tempos em tempos. Acho um Absurdo! 

A fotografia de rua é algo profundo e bem pensado, que exige uma enorme experiência visual e prática. Mas o principal neste estilo de fotografia é estar pronto para um “sorriso” e ser capaz de reagir a eles corretamente e a tempo.

O mais difícil na fotografia de rua é não se repetir e usar a autocrítica. Isso ajuda a olhar para suas fotos, avaliá-las e entender os erros para evitá-los no futuro. Também é importante não seguir as expectativas de outra pessoa e permanecer sendo “você mesmo”, permanecer fiel a si mesmo e ouvir a si mesmo

Não há fronteira entre a fotografia de rua e a documental em minha prática. Estou interessado em fotografia como um todo. Não estou interessado em me tornar refém de um determinado estilo de fotografia, mas quero tirar fotos da vida ao meu redor como ela é.

As ferramentas são importantes e pode ser bastante difícil encontrar uma adequada que o ajude a concretizar a ideia e a visão da melhor maneira possível.

Eu estava bastante disposto a colocar minhas mãos em uma nova Fujifilm X-E4 antes de seu anúncio oficial enquanto fazia minhas filmagens na rua de Lviv, na Ucrânia. A câmera é tão compacta e quase invisível para outras pessoas, o que a torna uma grande vantagem ao fotografar nas ruas. A velocidade com que a câmera trabalha, a ergonomia incrível e o belo processamento de imagens com ISO alto são grandes benefícios da X-E4

Na minha opinião, esta nova câmera combinou todos os benefícios das séries X100 e X-Pro em um corpo, tornando a Fujifilm Х-Е4 uma câmera versátil e capaz de processar qualquer tarefa que possa enfrentar.” – Taras Bychko

Tagged , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published.